Notícias

16.01.2013

Rondonistas da FAE embarcam neste fim de semana


Participação de alunos beneficiará habitantes do município de Japaratuba/SE.
Participação de alunos beneficiará habitantes do município de Japaratuba/SE.
Pela primeira vez a FAE irá participar do Projeto Rondon. Neste final de semana, alunos e professores irão ao Sergipe para auxiliar o município de Japaratuba e povoados ao redor. A ação faz parte da Operação São Francisco que irá beneficiar milhares de pessoas em regiões carentes do Nordeste brasileiro.

A Operação dividiu as instituições participantes em grupos para capacitar agentes multiplicadores e servidores municipais para desenvolverem trabalhos de melhoria em diversas áreas. A FAE pertence ao grupo que irá desenvolver ações de Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio-Ambiente e Trabalho. Já a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) irá atuar na mesma região com trabalhos referentes à Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde.

Participam do projeto os alunos Ana Paula Freiberger Caron (Psicologia), Carolina Almeida Rech (Administração), Faiçal Raymond Hayward Isidoro (Direito), Gustavo Henrique Pedroso Santos (Ciências Econômicas), Jorge Gazal Carvalho (Engenharia Ambiental), Larissa Lopes Endlich (Engenharia Ambiental), Melissa Kintopp Belem (Publicidade e Propaganda), Uildilene Carvalho de Freitas Leoni (Design).

Os professores Marco Antônio Pedroso e Maristela F. de Andrade Gomes da Silva são os orientadores dos rondonistas. “Após rigorosa seleção, a FAE capacitou os alunos para esta missão com ajuda voluntária de vários professores da Instituição”, afirma Pedroso.

O professor ressalta ainda que este é o maior programa de voluntariado do país, e que transforma em realidade o sentido da doação. “Queremos fazer desta prática uma constante nas ações de extensão da FAE, ou seja, temos a expectativa de plantar a semente para colher frutos, tanto para a comunidade do município de Japaratuba, como para a comunidade FAE”.

Para Maristela o maior desafio será conciliar as disparidades culturais e sociais entre os alunos e a comunidade. “Nós elaboramos oficinas, palestras e dinâmicas, porém, só teremos a real dimensão do nosso trabalho quando chegarmos lá”, enfatiza Maristela citando também o aprendizado que os alunos obterão com essa experiência. “Será um ensinamento para toda vida, eles terão que confraternizar com o outro grupo, saber lidar com situações adversas e conhecerão pessoas que vivem no limite da precariedade”, conclui a professora.

Já a aluna Uildilene de Freitas Leoni acredita que voltará ainda mais consciente de seu papel na sociedade. “Espero voltar outra pessoa, enriquecida com mais cultura, conhecimento, esperança, enfim, com uma nova perspectiva sobre a vida”, relata a aluna que não esconde a ansiedade. “A população de Japaratuba já nos aguarda com muita expectativa, e isso só faz aumentar a nossa também. Acho que, sem dúvida alguma, o impacto no nosso psicológico será grande, mas já estou muito feliz”. O retorno está marcado para o dia 04 de fevereiro.

Japaratuba é uma cidade com aproximadamente 16 mil habitantes, e apenas 1/3 da população habita o perímetro urbano. A maior parte da população está dividida entre os povoados de Mundo Novo, Porteira, São José e Patioba, que foi considerado um dos principais quilombos de Sergipe.


Compartilhe: