15.12.2020

Estudantes criam startups no primeiro ano da faculdade


Quatro negócios digitais escaláveis foram lançados dos durante semestre de aulas do curso de Negócios Digitais da FAE Centro Universitário
Quatro negócios digitais escaláveis foram lançados dos durante semestre de aulas do curso de Negócios Digitais da FAE Centro Universitário
Delivery de comida vegetariana e vegana, plataforma para conectar gamers, interface de conexão entre autônomos do setor de clientes, além de uma solução que facilita a digitalização de microempresas são algumas das mais recentes startups lançadas em Curitiba. Esse anúncio tinha tudo para ser uma notícia normal no mundo das startups se não fosse pelo fato de terem sido criadas por alunos ainda no primeiro ano da graduação em Negócios Digitais da FAE Centro Universitário.

Primeira startup na faculdade

Denominado My First Business e com um desenho inovador entre cursos de graduação no Brasil, o projeto acadêmico desafiou 25 estudantes durante quatro meses do segundo semestre de 2020 a idealizar, projetar, criar e testar um negócio do zero. A metodologia é denominada MVP (Minimum Viable Product), ou seja, é quando o empreendedor entrega uma proposta de valor para o seu cliente a partir da versão mais simples e enxuta possível do seu produto.

O projeto foi conduzido com a mentoria de empreendedores, investidores e especialistas, vários pitches e ocorreu de maneira interdisciplinar, integrando conteúdos de Art Innovation, Metodologias Ágeis, Tecnologia para Negócios e Marketing com o projeto do MVP.

“Confesso que, no início de todo o projeto, tivemos um pouco de dificuldade em diferenciar a situação como trabalho da faculdade e um negócio real. Mas, assim que começamos a colocar a mão na massa de verdade, encarar desafios do mundo real, lidar com pessoas, colher feedbacks, encarar as bancas e, principalmente, ver resultados e perceber nossa evolução, notamos o potencial daquilo que estamos desenvolvendo e de nós mesmos”, relata a estudante Lori Natsumi Kojima (20 anos), criadora, ao lado de outros quatro colegas, da startup Olimpo, que conecta autônomos da área de limpeza a clientes de pequenos apartamentos de forma rápida, prática e segura.

Faculdade também deve ser o mundo real

Para a professora da disciplina de Marketing, Edna Cicmanec, as equipes tiveram a possibilidade de experienciar um desafio real com o suporte de conteúdos interdisciplinares que passaram a compor o escopo da elaboração de propostas inovadoras. “A disciplina de Marketing, por exemplo, contribuiu para o foco no atendimento adequado às necessidades dos consumidores, a criação de valor para o cliente e uma visão mais ampla de mercado”, explica a especialista.

O coordenador do curso de Negócios Digitais da FAE, Randy Rachwal, complementa essa ideia de ressignificação da faculdade como um ambiente que deve ir além da simulação do mercado de trabalho. “Nossa experiência na FAE tem provado que a faculdade não é um tubo de ensaio para o mercado de trabalho, muito pelo contrário, nós já temos o mercado dentro da faculdade. Então, o aluno cria seu próprio espaço de trabalho por meio da participação em projetos colaborativos com empresas e profissionais convidados, na criação de soluções reais encomendadas por grandes companhias em eventos e projetos acadêmicos integradores e colaborativos, além de atuar na criação de negócios próprios, como no My First Business”, destaca.

Aprovação do mercado

Convidado para ser um dos avaliadores dos pitches apresentados pelas equipes, Wellinton Oliveira, cofundador da consultoria de inovação Evolve MVP, acredita que o papel de um curso como a graduação em Negócios Digitais é primordial na preparação para o empreendedorismo. “Nós não possuímos hoje no Brasil um curso de graduação que realmente englobe as áreas necessárias para criar e gerir negócios on-line. Acredito que em pouco tempo o curso será uma referência na criação de empreendedores inovadores no país”.

Responsável pela aceleração de vários negócios e pela conexão entre empreendedores e investidores, Oliveira também se diz surpreso em ver jovens universitários em início de carreira já com capacidade de apresentar projetos maduros, alguns até monetizando. “Aliás, monetização é uma barreira que muitas startups com fundadores experientes enfrentam no mercado. Ver os alunos conseguirem fazer as primeiras vendas tão cedo é muito legal”, destaca.

Trilha de aprendizagem

De acordo com o pró-reitor Acadêmico da FAE, Everton Drohomeretski, Negócios Digitais e todos os demais cursos do Centro Universitário são pensados dentro de um conceito institucional definido como Saber, Fazer e Ser. “Acreditamos que esses três pilares precisam estar presentes em toda a formação dos nossos alunos, pois o saber uma determinada teoria só terá sentido se o aluno conseguir aplicá-la em uma situação real, fazendo com que sua atuação tenha um propósito tanto para ele quanto para o seu cliente ou para a sociedade como um todo. Isso certamente o tornará mais completo, tanto como profissional quanto como ser humano”, conclui.

Conheça as quatro startups criadas por alunos da FAE

  • Deliverdy: o aplicativo é uma opção mais rápida e acessível para pedir comida vegetariana ou vegana. Permite pedir refeições de restaurantes ou lanchonetes próximos ou produtos a granel diretamente de comerciantes locais, incentivando uma logística sustentável.
  • Contato: @deliverdy.cwb
  • Alunos proprietários: Camily Mayumi Kosoba, Eduardo Garcia Busto, Enzo Baechtold Rachwal, João Victor Hollveg, Juan Costa Fernandes e Sofia Ainhoa Yazbek.

  • Or8Bit: direcionado para gamers, o aplicativo conecta usuários de streaming como uma rede social para o compartilhamento e a classificação de suas experiências, criando espaço para divulgação de pequenos canais.
  • Contato: @or8bit
  • Alunos proprietários: Bruno Martins Moises, Daniel Balbinotte Wincardt, Gabriel Cordeiro Skrobot, Martin Augusto Schiochetti, Mariana Brito Cotait, Natan Folchini Doro e Thomas Toneli Rodrigues.

  • Olimpo: como um Uber da limpeza, a plataforma é focada na higienização de pequenos apartamentos por meio de profissionais que atendem vários imóveis no mesmo dia.
  • Contato: sejaolimpo.adm@gmail.com
  • Alunos proprietários: Andrey Bertoldi, Antônio César Silvério Filho, Bruna Schwartz de Paula, Eduardo Fernandes e Lori Natsumi Kojima.

  • Inovarte+: a solução gera inovação e transformação digital rápida para microempresas.
  • Contato: @inovartemais
  • Alunos proprietários: Bruno Marcinichen Allage, Christofer Peccin, Gabriel Sepreny Jose, João Pedro Monteiro de Almeida Menanteaux, Paulo Carlos de Oliveira Filho e Yanca Matarasso Pauli.


Compartilhe:


Verifique o  Cadastro FAE no MEC