Notícias

20.12.2019

FAE investe em capital humano para transformar o futuro


Conheça as iniciativas da instituição que colocam as pessoas como centro do processo de transformação
Conheça as iniciativas da instituição que colocam as pessoas como centro do processo de transformação
A FAE Centro Universitário assume o compromisso de lançar tendências educacionais que priorizem as pessoas como centro do processo de transformação. Exemplos disso são algumas iniciativas recentes como: missões técnicas aos principais celeiros de inovação nos Estados Unidos, na Europa e em outros países; graduação inédita para formar profissionais em Negócios Digitais; a criação de startups por meio do BMaker e muitas outras. Todas essas atividades estão focadas em desenvolver soft, hard e digital skills, ativos essenciais na nova economia, capazes de impulsionar mudanças comportamentais, culturais e de consumo.

Conforme Rodrigo de Alvarenga, professor do curso de Transformação Digital da FAE e investidor de startups no Brasil e em outros países, “a FAE é uma Instituição que, assim como eu, é apaixonada por gente”! O especialista, responsável por representar a Instituição no lançamento da GazzConecta (plataforma de inovação que tem como mantenedora a Gazeta do Povo) defende que são pessoas que compõem as empresas, as startups ou as organizações que estão sendo fundadas ou que estão cumprindo uma jornada, com o intuito de se tornarem cada vez mais relevantes. Sendo assim, não é possível descolar a educação desse processo, pois ela está diretamente envolvida no desenvolvimento do capital humano.

Dando continuidade à construção desse cenário, em 2020 inicia na FAE o curso de Negócios Digitais, que foi desenvolvido em parceria com empresas do ecossistema de inovação, muito bem posicionadas na era 4.0, sob a tutoria pedagógica da Instituição. O formato é inédito no Brasil na modalidade bacharelado. O curso segue o conceito de inovação aberta, um modelo considerado novo para o meio acadêmico.

Negócios Digitais - A nova graduação é inspirada nas tendências globais que visam à formação integral do estudante, competências técnicas e comportamentais, com o desenvolvimento de digital e soft skills, atendendo aos anseios do mercado e da própria geração, que é digital e hiperconectada, mas que ao mesmo tempo necessita de desenvoltura para lidar de maneira multidisciplinar e ágil, com inteligência emocional e grande capacidade de resolver problemas.

Missões internacionais – Reiterando o compromisso com o aprendizado focado na experiência, também em 2020 serão relançadas as missões internacionais. Com visitas programadas para os principais celeiros de inovação, a FAE levará o participante ao Vale do Silício, a Lisboa e a São Paulo, entre outros pontos importantes, para um verdadeiro intercâmbio. A intenção é fazer do relacionamento com o ecossistema uma parte importante do processo de transformação sob uma visão mais ampla, estratégica e sistêmica. A FAE fará com que o participante viva a experiência e conheça os aspectos-chave relacionados à cultura de inovação e à mudança de mindset, sob a perspectiva dos atores que já são membros destaque desse ecossistema, incluindo as principais lideranças executivas, permitindo, assim, uma verdadeira imersão aos pontos que fazem a diferença nas organizações exponenciais.

BMaker - Em 2019, a FAE lançou o BMaker, uma disciplina isolada de empreendedorismo focada na construção de um negócio digital que já apresentou quatro novas startups neste ano: a You Clinic e a Credit Club, formadas no segundo semestre, e, na turma do primeiro semestre, o Karonero, um aplicativo de caronas, e a GoTalk, um marketplace de palestras. Os novos negócios validaram suas ideias para uma banca de avaliadores formada por atores do ecossistema de inovação. As equipes de alunos empreendedores fizeram seus pitches respeitando um formato idêntico aos processos praticados no cenário da nova economia.

FAE LAB - Em sintonia com as exigências do mercado e os padrões internacionais de ensino, a FAE inaugurou em 2019 o FAE LAB, prédio exclusivo de laboratórios para uso compartilhado pelos alunos de graduação e de pós-graduação. Além dos estudantes, a comunidade também será beneficiada com serviços, estreitando ainda mais o relacionamento da Instituição com o mercado. A intenção é agregar valor a todos os envolvidos: aos alunos, pela oportunidade de trabalhar com situações reais do cotidiano; à comunidade, pelas diferentes soluções oferecidas.

Infraestrutura
Nos laboratórios totalmente equipados do FAE LAB, os alunos poderão realizar pesquisas econômicas, simulações de processos de fabricação, análise do mercado financeiro e de capitais, soluções pedagógicas de psicomotricidade, projetos de arquitetura e urbanismo e em diferentes áreas das engenharias, projetos de manufatura 4.0, entre muitas outras atividades.

“Toda instituição também precisa passar por seu processo de disrupção e o que me fez entender que a FAE faz hoje um belíssimo trabalho nesse sentido é a transformação intensa pela qual ela está passando. A FAE está abrindo mão de modelos mais rígidos ao agregar pessoas, organizações e instituições já alinhadas à nova economia. Surge um modelo cocriado que está permitindo que produtos diferenciados estejam à disposição do desenvolvimento do capital humano, com o objetivo de inserir o profissional na nova realidade da era digital”, finaliza Alvarenga.

__
Foto (Letícia Akemi / Gazeta do Povo): Paulo Roberto Araujo Cruz, Diretor de Relações Corporativas da FAE Centro Universitário, Ana Amélia Filizola, diretora da Unidade Jornais do GRPCom, e Rodrigo de Alvarenga, professor do curso de Transformação Digital da FAE, durante o lançamento do GazzConecta.


Compartilhe: