Notícias

01.09.2016

Sete dicas para estar na mira do headhunter


Confira o artigo da professora Elaine Cristina de Azevedo Pacheco
Confira o artigo da professora Elaine Cristina de Azevedo Pacheco
Headhunter é um termo de origem inglesa que significa “caçador de cabeças”, ou seja, é um profissional que tem a responsabilidade de encontrar os melhores candidatos para cargos executivos de grandes empresas. Ao contrário do que muita gente pensa, o headhunter é contratado pela empresa e não pelos profissionais que estão disponíveis no mercado.

A diferença entre ele e um recrutador de pessoas é o fato de ter uma ampla rede de relacionamento. Além de ser bem relacionado, o headhunter gera confiança e sabe muito bem contratar a pessoa certa para o lugar certo.

Mas o que você deve fazer para estar na mira desse profissional?

Primeiramente, é bom esclarecer que o headhunter não fica mais de 10 segundos lendo um currículo. Ele conhece você por meio do seu networking e pelo seu relacionamento com o mercado. Então fique atento às dicas:

  • Use as redes sociais, especialmente o Linkedin. Deixe seu perfil atualizado e organizado. Lembre-se de que é uma rede profissional, que deve estar em atividade. Não basta criar seu perfil e nunca mais usá-lo.

  • Cuide de sua apresentação pessoal e do modo como se veste, se comporta e fala.

  • Seja competitivo no mercado, qualificando-se constantemente.

  • Tenha um bom relacionamento com o mercado, crie uma vitrine profissional transparente. Preze pela sua imagem e pelo seu nome.

  • Participe de eventos da sua área. Além de fortalecer o networking, é uma forma de estar atualizado e de ser visto por profissionais da área.

  • Mantenha o relacionamento com a sua faculdade, pois muitas delas indicam seus ex-alunos aos headhunters.

  • Deixe seu currículo sempre pronto e enxuto, com no máximo duas ou três páginas. Utilize expressões que mostrem sua qualificação e experiência.

Por fim, cuidado com alguns profissionais que se intitulam headhunters para ganhar dinheiro com os candidatos. Quem remunera o profissional é a empresa que o contratou. Se você não o conhece, procure saber mais sobre ele e sobre a empresa contratante.

 
Elaine Cristina de Azevedo Pacheco, administradora, especialista em Gestão de Pessoas, professora de Empreendedorismo e coordenadora do Núcleo de Empregabilidade (NEP) da FAE.


Compartilhe: