Notícias

05.09.2013

Transformação social e Copa do Mundo


Alunas da FAE escrevem projeto financiado por empresas parceiras da Unicef Brasil.
Alunas da FAE escrevem projeto financiado por empresas parceiras da Unicef Brasil.
Um projeto desenvolvido como atividade da pós-graduação em Educomunicação, coordenado pela professora Regina Luque, será financiado por empresas parceiras da Unicef Brasil. 

O projeto “Estação Jovem na perspectiva da Educomunicação e controle social”, escrito pelas alunas Joanice Andrade e Fabiane do Prado Penteado na área de participação cidadã para o público jovem, já está sendo implantado em Curitiba, na Rejupe PR, por meio do Instituto Salesiano de Assistência Social (ISAS).

A ação contempla 3 etapas que visam proporcionar a troca de experiências entre jovens de participação cidadã do Estado, para consolidar ações que envolvam o direito ao esporte seguro e inclusivo, além de incentivar iniciativas que incidam diretamente no planejamento e construção de um legado social positivo para a Copa do Mundo.

Educomunicação

O projeto utiliza tecnologias como elementos de cinema, rádio web, produções de vídeos e de programas de TV, apresentadas no curso para atrair a atenção dos jovens para a política brasileira. “Utilizamos os princípios da educomunicação para empoderar o jovem que está em situação de vulnerabilidade social para que ele possa entender e expressar o que estará acontecendo com suas cidades durante os megaeventos dessa década”, afirma Fabiane. Para ela, um dos elementos mais importantes é que além de entender, o jovem atuante na Rejupe poderá agir como transformador social impactando sobre as decisões políticas de seu município, além disso, um evento como a Copa do Mundo será observado por outro prisma.

Para Regina Luque, o sucesso conseguido pelas alunas faz parte do perfil dos alunos do curso de Educomunicação. “Nossos acadêmicos são profissionais que buscam algo novo, desafiador, que os impulsione para novos caminhos, um fazer que agrega valores de participação cidadã”, ressalta a coordenadora e acrescenta que os princípios que fundamentam a Educomunicação foram ao encontro dessas aspirações, pois desenvolvem a comunicação na perspectiva da educação. “Buscamos a comunicação que educa, que conscientiza e move a ação”, finaliza.

Assista a participação das alunas no programa Diálogos Acadêmicos e Profissionais.

Saiba mais sobre a Rede de Adolescentes e Jovens pelo Direito ao Esporte Seguro e Inclusivo (Rejupe).


Compartilhe: