Notícias

15.05.2013

Redes Sociais em pauta


Evento dos cursos de Licenciatura da FAE questiona o uso destas ferramentas.
Evento dos cursos de Licenciatura da FAE questiona o uso destas ferramentas.
Na última semana, comunidade e alunos dos cursos de Pedagogia, Letras, Psicologia e Filosofia da FAE se reuniram no Teatro Bom Jesus para discutir o tema “Redes Sociais e Relacionamento Humano: Múltiplos Enfoques”. Para enriquecer o debate, estiveram presentes a psicóloga Selma Lamas, a pedagoga Letícia Meira, o filósofo Jelson Oliveira e o jornalista e advogado Rodhrigo Deda.

Durante o encontro, os palestrantes convidados apresentaram argumentação teórica e prática a respeito do uso das redes sociais, desde a orientação familiar na formação da criança até a aplicação da tecnologia no cotidiano profissional.

A psicóloga Selma Lamas abordou os limites sociais, ou seja, a liberdade que o indivíduo conquista, ao longo da vida, nos círculos familiar, educacional, profissional e afetivo. Para Selma, o bom uso das redes sociais é um reflexo da educação recebida no seio familiar.

A pedagoga Letícia Meira argumentou sobre o desafio para alunos e professores que a tecnologia da informação, em especial as redes sociais, representam. “As redes sociais são ferramentas potenciais para o ensino, para a produção e compartilhamento do conhecimento, mas é preciso saber gerenciar o tempo de uso da tecnologia e direcionar corretamente a sua aplicação na sala de aula”, explicou.

Já o filósofo Jelson Oliveira pontuou que muitos usuários das redes sociais vivem de aparência, mantendo amizades virtuais e diminuindo a importância do contato pessoal. Outra observação de Oliveira foi o mal uso das tecnologias que, apesar de diminuir as tarefas manuais diárias e, teoricamente, criar mais tempo para as pessoas, acabam envolvendo cada dia mais o indivíduo em multitarefas. “É preciso ter tempo e ser simples para ser feliz. Buscar a simplicidade é fugir do excesso”, afirmou.

Por fim, o jornalista e advogado Rodhrigo Deda, apresentou ao público alguns resultados do uso compartilhado das redes sociais como ferramenta de mobilização. De acordo com Deda, é preciso debater a respeito da qualidade da informação produzida na internet, pois há uma dúvida, por parte da sociedade em geral, a respeito da “amadorização em massa”, ou seja, todos podem produzir conteúdo, mas nem sempre é possível provar a veracidade e exatidão da informação. “Defendo a liberdade de expressão e tenho as redes sociais como importante ferramenta democrática e de produção de conteúdo, mas precisamos estar atentos ao que é publicado e nunca deixar de pesquisar e confirmar, com fontes seguras, aquilo que foi publicado”, disse.

Para a coordenadora do curso de Pedagogia, Sílvia Iuan Lozza, o encontro serviu para levantar questões importantes sobre as redes sociais, a partir de diferentes pontos de vista, e ofereceu argumentos para que o público presente pudesse questionar o próprio uso desta tecnologia “Este evento foi uma maneira de convidar a comunidade a uma reflexão sobre o impacto das redes sociais em nossas vidas”, conclui.



Galeria de fotos






Compartilhe: