24.06.2021

UX design: uma carreira em expansão


Profissional que tem como foco a experiência do usuário de serviços e produtos é cada vez mais requisitado (Foto: Unsplash | UX Indonesia)
Profissional que tem como foco a experiência do usuário de serviços e produtos é cada vez mais requisitado (Foto: Unsplash | UX Indonesia)

Se você utiliza ou já utilizou alguma vez em sua vida serviços de entrega de alimentos, de mobilidade, plataformas para assistir a filmes e séries ou para assistir a aulas remotas (só para citar alguns), pode ter certeza de que está se beneficiando do trabalho de um UX designer. Esse especialista busca desenvolver a melhor experiência para a pessoa que utiliza serviços e produtos, dos mais variados, com o intuito de melhorar a sua vida (UX são as iniciais de user experience).

A carreira de UX design está em expansão: só no LinkedIn são postadas, toda semana, cerca de 250 vagas para a área. A mesma rede social fez uma pesquisa para detectar as principais habilidades que as empresas procuravam em 2020 e a de UX design é uma delas: entre as habilidades “mais difíceis”, segundo o LinkedIn, a de UX design ficou em 5.º lugar, atrás de blockchain (1.º), cloud computing (2.º), raciocínio analítico (3.º) e inteligência artificial (4.º). Ainda de acordo com o LinkedIn, as organizações precisam de mais conhecimento para ajudá-las a criar produtos e experiências centrados no ser humano – característica que o UX design tem de sobra. Dados da pesquisa da Nielsen Neuman Group já indicaram também que a profissão de UX designer vem crescendo nos últimos anos, e essa ascensão deve permanecer pelo menos até 2050.

Segundo o professor da pós-graduação em UX – User Experience da FAE Business School, Rodrigo da Silva, trata-se de uma carreira desafiadora. “O profissional de UX precisa ser observador, analítico, metódico e ter empatia para analisar as demandas dos usuários”, ressalta. O problema que se vê hoje, segundo o professor, é que há muitas vagas disponíveis nessa área, mas poucos profissionais preparados. “Temos constatado já há algum tempo um aquecimento nesse mercado, juntamente com profissionais ligados à TI, principalmente a partir da pandemia, que demandou ainda mais a digitalização em diversas áreas, especialmente nas startups e naquelas empresas que se concentram na busca de soluções rápidas para o usuário”, analisa o professor.

Para identificar o que a pessoa mais deseja encontrar, ou seja, definir as expectativas do usuário, o profissional de UX precisa conhecer essa pessoa, primeiramente. Mas, acima de tudo, deve entender o que ela espera de determinado produto ou serviço. Ele faz uma análise detalhada de toda a jornada de consumo desse usuário, acompanhando-o nos passos trilhados por determinado serviço ou produto, até o momento em que ele chega ao seu objetivo final. “Esse profissional vai entender todas as motivações do usuário, pois é com base na ação dele que o especialista vai mensurar a jornada, o que a pessoa fez para utilizar um serviço, um produto, um software, por exemplo. Até chegar ao momento do teste: com esse mapeamento, são feitos pequenos protótipos para que o usuário possa operar e otimizar, pois o uso do produto ou do serviço tem de ser o mais intuitivo possível”, explica o professor Rodrigo.

O docente leciona em diversos cursos na FAE, como Design, Arquitetura e Urbanismo, Administração e Negócios Internacionais. E, pela diversidade de temas, é possível compreender como a pós-graduação em UX traz uma gama de informações para todos os públicos, e não somente para quem está inserido no mundo do design. Ele relata ainda que no curso são trabalhadas metodologias ágeis com análise de dados, análise de comportamento (mapeamento de jornadas do consumidor), métricas de marketing e redação de UX (textos para serem lidos e compreendidos dinamicamente). A pós em UX tem, ainda, horários flexíveis e também permite que o aluno escolha disciplinas de outros cursos.

A FAE Business School

Resultado de uma proposta pedagógica inovadora, a FAE Business School oferece mais de 50 cursos de especialização lato sensu, programas de MBA, sendo um semi-internacional ou internacional, educação executiva e programas in company, com cursos direcionados e personalizados para empresas e executivos.

A Pós-Graduação da FAE proporciona ao aluno grades flexíveis e metodologias exclusivas, para obter os melhores resultados para sua vida. Tendo como mote principal o “seu negócio é você”, a FAE considera que investir na carreira, nos estudos, no aperfeiçoamento constante, adquirindo, transformando e aprimorando habilidades, é uma necessidade premente para o sucesso. O conceito de lifelong learning está presente, colocando o aluno como protagonista na resolução de problemas.



Compartilhe: