23.06.2021

Quanto você é protagonista da sua Transformação Digital e de seu Trabalho?


Sabemos, mais do que nunca, que a Transformação Digital veio para ficar. Acelerada pela crise pandêmica, precisamos mudar estratégias, formatos e até atitudes para correr contra o tempo. 

E agora, após um ano dessa corrida, como você se vê?
Será que como um profissional mais adaptado ao digital, pronto para mudanças e renovado?
Fizemos esta pergunta a alguns alunos e ex-alunos FAEx que rapidamente nos responderam.

Confiram alguns depoimentos:
 

”A Pandemia que vivemos, apesar de muito severa, nos forçou a buscar um nível de efetividade ainda maior. E, para isso, desenvolver novas habilidades se tornou essencial. Em meu cotidiano como gestor de marketing, tive a oportunidade de incorporar novas atividades digitais e intensificar as que já estavam em prática. Com isso, o time passou a trabalhar com muito mais inteligência, informação e assertividade, o que trouxe ótimos desempenhos. Como professor, tive a oportunidade de multiplicar minha presença, por ter adotado rapidamente o formato remoto/digital, enquanto alguns colegas decidiram esperar a pandemia passar para retornarem às atividades somente no formato presencial”. Alexandre Conte, ex-aluno e professor da FAE Business School, é gestor de marketing da Unidade Curitiba da TOTVS e da Startup EXAGO Innovation.

“Trabalho no ramo da construção civil. A pandemia me obrigou a me adaptar, usar diversas tecnologias disponíveis para trabalhar em home office, mantendo contato com a equipe através de chat e videoconferências. O mercado nesse setor também sofreu alterações e precisou ser repensado, já que as indústrias estão com baixa oferta de insumos e produtos, gerando demanda reprimida”.
Gabriel Alborghetti, aluno de Administração na FAE Centro Universitário, assistente de administração de vendas e comercial da Selena Sulamericana.


“Quem me conhece sabe que sou um grande entusiasta de atividades lúdicas em geral. Nenhuma me fascina tanto, porém, quanto o xadrez. Nesses momentos, todavia, é importante lembrar que, com dedicação e os movimentos corretos, todo peão é uma dama em potencial. Todas as peças são, em última instância, cruciais para que o jogo possa acontecer. Devemos estar atentos às transformações que ocorrem à nossa volta, utilizando as ferramentas corretas para tornar nossas ações mais eficientes e dinâmicas.
Particularmente, como advogado, adaptei minha rotina desde o início da pandemia, passando a utilizar as plataformas digitais integralmente, seja para elaborar, revisar, transmitir e armazenar documentos, seja para realizar reuniões telepresenciais com clientes e participar de compromissos junto aos órgãos do Poder Judiciário”.
Matheus Fernandes de Jesus, ex-aluno de Direito na FAE. Sócio da Cal Garcia, Müller Martins Advogados.

“O cenário de pandemia nos proporcionou a aceleração na transformação do modelo de gestão da equipe. Antes da Covid, estávamos passando por uma reformulação na gestão e organização das equipes, aplicando conceitos mais modernos de gestão horizontal e metodologias ágeis. Após evoluir no entendimento dos conceitos e conseguir através da prática uma disseminação cultural do que estava sendo proposto, entramos no último estágio dessa transformação, que é a implementação de ferramentas digitais que ajudam a organizar esse formato de trabalho descentralizado e autônomo, e que, ao mesmo tempo, proporciona às equipes e a gestão manter uma visão do todo. Como agente de transformação deste processo, posso afirmar que, com o home office e a necessidade de materializar certas entregas de forma remota, foi possível concluir a implementação dessas ferramentas com maior velocidade e principalmente maior aderência dos integrantes, uma vez que caminhávamos a passos curtos no ambiente presencial do escritório”.
Matheus Marinelli, graduado em Administração pela FAE, especialista em gestão de projetos e analista de melhoria contínua no GRPCOM.

“A transformação digital, que vinha ocorrendo de certo modo lentamente e introduzida por uma parcela de pessoas, foi adiantada com a pandemia. Pude perceber a necessidade de os profissionais, não importa a área, aumentarem seus conhecimentos em tecnologia, relacionados às ferramentas de trabalho como uma exigência da situação atual. Se antes eu aguardava uma solução do TI para resolver um problema simples, hoje em dia por estar trabalhando 100% em home office, aprendi a ‘me virar’ em problemas rotineiros e a ficar mais autônoma nesse sentido. Além disso, para acompanhar os movimentos do nosso novo cenário, vi a necessidade de aprender a utilizar ferramentas de apresentações para reuniões on-line, que, confesso, antes não ter muito interesse. Ou seja, com relação à transformação digital, a pandemia fez com que todos os profissionais se tornassem protagonistas em seus trabalhos, pois não importa o cargo ou área, todos tivemos de nos esforçarmos para acelerar esse processo tecnológico a fim de trabalharmos da maneira mais adequada à nova realidade”.
Mariane Grade, Graduada em Negócios Internacionais pela FAE Centro Universitário, Pós-graduada em Planejamento e Gestão de Negócios pela FAE Business School e Inside Sales na Schenker do Brasil Transportes Internacionais.


O que achou?
Se você também quer nos contar como foi para você, envie-nos um e-mail para faex@fae.edu e também não deixe de participar do Link FAEx da próxima semana

 



Compartilhe: