Notícias

12.03.2020

Você é um bom líder na gestão de mudança?


Líderes bem-sucedidos na gestão de mudanças possuem características em comum. Conheça quais são!
Líderes bem-sucedidos na gestão de mudanças possuem características em comum. Conheça quais são!
Por Paulo Vieira Campos*, professor do curso "A Estreia do Líder"

Não importa se o líder for incumbido de executar um programa de mudança iniciado pela alta administração ou de criar um programa de mudança na própria unidade ou equipe. Líderes bem-sucedidos na gestão de mudanças têm as seguintes características em comum:

1. São aceitos pelos demais como confiáveis e competentes.
2. Têm perspectiva global – conhecem a estratégia mais ampla de sua organização e de sua unidade.
3. Têm uma visão clara e convincente da mudança almejada.
4. São capazes de articular em que consiste a mudança, por que ela é necessária e como ela vai beneficiar tanto os funcionários quanto a organização.
5. São capazes de identificar as pessoas que podem concretizar a mudança e de determinar como conseguir o apoio e a cooperação delas.
6. Estão aptos a alinhar e obter o comprometimento dos membros da equipe e dos stakeholders.
7. Podem motivar os demais a adquirir a visão de mudança.
8. Podem enxergar oportunidades e diagnosticar problemas do ponto de vista de seus ouvintes.
9. Podem eliminar barreiras que interferem na iniciativa de mudança.

Dessas 9 características, quais as 3 mais comuns em você, líder na gestão de mudanças? Embora seja impossível prever toda iniciativa de mudança, a probabilidade de haver mudanças é alta e os líderes podem contar com elas – e planejar. Líderes que sabem prever, catalisar e administrar mudanças vão tornar suas carreiras e sua experiência nas empresas em que trabalharem mais satisfatórias e bem-sucedidas.

Saiba preparar seu grupo para mudanças. Se você lidera uma unidade ou um grupo, há determinados passos que podem ser seguidos para ajudar sua organização a se preparar para mudanças:

1. Incentive o trabalho participativo em sua unidade.
Desenvolva abordagens mais participativas de como os negócios cotidianos são conduzidos. Especificamente:
Delegue a tomada de decisões aos níveis mais baixos possíveis. Permitir que outras pessoas tomem decisões bem informadas em vez de impor sua decisão aumenta a percepção da equipe sobre a própria eficácia – e da sua como líder.
Compartilhe informações abertamente. A informação é a força vital de qualquer organização. Em tempos de mudanças, obter e divulgar informações são fatores críticos para a operação eficaz, flexível e rápida.


2. Dê voz a seus funcionários.
Funcionários que podem expressar suas ideias livremente vão se sentir mais aptos a agir. Incentive as pessoas a discutir abertamente seus pensamentos e sentimentos sobre o programa de mudança. Empenhe-se em entender a resistência, explorando interesses individuais e levando os sentimentos dos funcionários a sério. Quando as pessoas acreditam que a opinião delas conta, elas se prontificam a se mobilizar para a mudança.

3. Elimine o medo de sua equipe.
Uma cultura organizacional dominada pelo medo é incapaz de mudanças sérias. O medo encoraja todos a evitar riscos, a se focar internamente e a parar de se comunicar. Além disso, o medo gera custos reais às organizações na forma de absenteísmo, redução de produtividade e diminuição da qualidade dos produtos e serviços.

Apesar de os gerentes terem o dever de tentar reduzir o medo, eles não devem ignorar os aspectos desafiadores da mudança em si – nem minimizar a intensidade das reações dos funcionários a ela. Gerentes devem reconhecer abertamente as preocupações dos funcionários e trabalhar com eles para que apoiem e se envolvam na iniciativa de mudança.
Uma vez que a organização se aperfeiçoa por meio de transições, iniciativas de mudanças podem se propagar.

E aqui vai uma dicaduka: durante o processo de mudança, mantenha a regularidade da comunicação com a equipe. Determine um horário em certo dia da semana e procure sempre estar à disposição para ouvir e explicar os próximos passos.

Mochila nas costas e até a próxima trilha!

Paulo Vieira de Campos possui 26 anos de experiência com Recursos Humanos e é professor do curso executivo de curta duração “A estreia do líder”, que será realizado na FAE Business School. Saiba mais sobre o curso.


Compartilhe: