Notícias

17.12.2018

O papel do Administrador no empreendedorismo


Dentro da inovação e do empreendedorismo, a  Administração possui um papel de protagonismo como profissão e como ciência.
Dentro da inovação e do empreendedorismo, a Administração possui um papel de protagonismo como profissão e como ciência.
Apesar de o termo empreendedorismo ter sido muito desgastado nos últimos anos pelas palestras de autoajuda, livros e afins, não se trata de uma atividade nova. O empreendedorismo nasce do intraempreendedorismo, ou seja, de pessoas que não encontraram o ambiente e o apoio adequado para desenvolver as suas ideias e abandonaram as empresas onde trabalhavam para abrir seus próprios negócios.

Nesse sentido, tanto o empreendedorismo quanto a inovação surgem a partir da formação teórica e prática para poder oferecer algo que seja de fato inovador e capaz de agregar valor e conferir benefícios para quem a consome, para que a nova empresa seja longeva e não apenas um sucesso momentâneo.

Pode-se dizer, então, que a inovação e o empreendedorismo surgem da observação cuidadosa de como as pessoas se comportam no seu dia a dia, para então intervir oportunamente com o uso das ferramentas e técnicas adequadas, dando corpo e forma a necessidades cada vez mais individualizadas.

Nesse sentido, a Administração assume um papel de protagonismo como profissão e como ciência, uma vez que se trata de um curso que reúne e oferece os conhecimentos e as práticas necessárias para formar novos empreendedores que não apenas saibam o que devem fazer, mas especialmente como aplicar conceitos e ferramentas para que as empresas de que participam possam alcançar seus objetivos, com foco na inovação competitiva, na promoção da geração do emprego e da renda, da responsabilidade social e do crescimento econômico de que o Brasil tanto necessita.

Na FAE o aluno tem experiências reais na disciplina de Prática de Empreendedorismo que acontece no primeiro ano do curso de Administração Integral e nas atividades desenvolvidas em conjunto com empresas, como a Workatona e o Expedição FAE. Nestas disciplinas e atividades, os alunos são atores na busca das soluções e no desenvolvimento dos projetos, enquanto os professores atuam como orientadores e tutores, fazendo com que os alunos tenham liberdade, especialmente no processo criativo, e para que depois tenham autonomia na sua execução. É o melhor dos dois mundos: a prática associada ao conhecimento!

Por Luis André Fumagalli, professor da FAE Centro Universitário e Coordenador do MBA Executivo Internacional In Management da FAE Business School.


Compartilhe: