14.06.2017

Sou FAEx!


Da venda de semijoias na faculdade para o maior atacado virtual do segmento do Brasil. Conheça a história do ex-aluno Guilherme Zarpellon
Da venda de semijoias na faculdade para o maior atacado virtual do segmento do Brasil. Conheça a história do ex-aluno Guilherme Zarpellon
Quando começou o curso de Administração na FAE, em 2000, Guilherme Zarpellon vendia alguns itens de semijoias, relógios e embalagens nos intervalos da aula. Ele trazia os produtos de uma pequena loja, que contava com apenas uma funcionária. Atualmente, a empresa, que leva o sobrenome da família, é considerada o maior atacado virtual de semijoias do Brasil, possui escritórios da marca em Curitiba e São Paulo e distribuidores espalhados por todo o país.

Até hoje, o empresário lembra de uma frase que o seu então professor, Daniel Godri, falou para a filha, colega de turma de Zarpellon: “Esse menino vai longe, pois todos os meus ex-alunos que vendiam coisas nos intervalos da aula estão muito bem de vida”.

“Atualmente, nossa marca é reconhecida principalmente no segmento em que atuamos. Por trabalharmos exclusivamente com revendedores, não fazemos nenhuma ação de marketing voltada para o varejo”, revela. Porém, antes do sucesso do empreendimento e do término da graduação, em 2004, o então estudante se lançava em um mercado cheio de riscos.

“Não tinha conhecimento algum, mas como eu não tinha muita coisa para perder, sempre fui muito curioso e não achava nada muito difícil, comecei a desvendar esse mercado”, conta Zarpellon. O incentivo, segundo o empresário, veio do pai, que trabalhava com peças de relógio. Contudo, com as mudanças tecnológicas e a entrada dos produtos chineses, que reconfiguraram o mercado, o jovem focou no segmento das semijoias.

Em 2006, já estava vendendo somente no atacado, pois notou que seria vantajoso comercializar mais quantidade com melhor preço do que ganhar uma margem maior no varejo. No mesmo ano, começou a participar de feiras do setor de semijoias em São Paulo. “Foi um divisor de águas para perceber o quanto eu precisava melhorar na empresa e também o quanto eu poderia crescer, pois estava brigando com os ‘peixes grandes’ do país todo e não somente de Curitiba”, lembra.

Faculdade: espaço de consultoria e de networking


De acordo com Zarpellon, a faculdade foi uma época muito especial da sua vida e tem saudades do relacionamento com os colegas de turma. “A cada noite, eu tinha a oportunidade de trocar experiências, informações, dúvidas com cinquenta colegas, cada um trabalhando em uma empresa diferente!”, recorda.

Controladoria, Marketing, Direito Trabalhista e Contabilidade foram algumas das disciplinas que, segundo Zarpellon, mais contribuíram para a sua formação profissional. “Lembro de tirar todas as dúvidas que tinha com os professores, que sempre foram extremamente solícitos quando eu precisava. Era uma consultoria que eu tinha todos os dias e praticamente sem um custo extra”, destaca.

Hoje em dia, Zarpellon tem contato com alguns professores. Alguns, inclusive, prestam serviço para a sua empresa com trabalhos pontuais de treinamento e de consultoria.

Sempre FAE!


Mesmo depois de concluir a graduação, Zarpellon continua próximo da comunidade acadêmica, pois aproveita as atividades oferecidas pelo Programa de Relacionamento com Ex-alunos da FAE (FAEx). Uma das experiências recentes de que mais gostou foi a mentoria voluntária realizada na Workatona, evento acadêmico de soluções de problemas reais. “A convivência com os alunos me faz relembrar de uma época muito boa. Fiquei surpreso como a moçada se empenhou em resolver os desafios. Eles se saíram muito melhor do que a turma da minha época se sairia”, brinca.

A FAE também quer contar a sua história!


É ex-aluno de graduação ou de pós-graduação da FAE e tem uma história interessante para contar? Então, entre em contato com a equipe do FAEx pelo e-mail faex@fae.edu ou pelo telefone (41) 2112-8117 e compartilhe com a gente!



Galeria de fotos






Compartilhe:


Verifique o  Cadastro FAE no MEC