Notícias

24.06.2016

FAE participa de fórum sobre o futuro das IES confessionais


Confira entrevista sobre o tema com o diretor de Campus, Marco Antônio Regnier Pedroso
Confira entrevista sobre o tema com o diretor de Campus, Marco Antônio Regnier Pedroso
Qual é o futuro das instituições de ensino superiores (IES) confessionais do Brasil? Essa foi a questão principal debatida no II Fórum Nacional sobre o tema promovido neste mês pela Associação Nacional da Educação Católica (ANEC) e a Associação Brasileira de Instituições Educacionais Evangélicas (ABIEE), em Canoas, no Rio Grande do Sul.

A FAE foi representada pelo diretor do Campus Curitiba, Marco Antônio Regnier Pedroso. Durante o encontro, Pedroso teve a oportunidade de dialogar com lideranças das maiores IES confessionais do país, inclusive com o reitor da Unilasalle Canoas (instituição anfitriã do evento) e também presidente da ANEC, o professor Paulo Fossatti, fsc.

O professor Pedroso concedeu uma entrevista exclusiva sobre a sua participação no evento. Confira:

FAE Express: O evento abordou a questão da sustentabilidade das IES confessionais. Quais foram as novidades referentes a esse assunto e como a FAE está alinhada com essa filosofia de gestão?

Professor Pedroso: Ainda que o foco tenha sido a sustentabilidade, as discussões e palestras foram direcionadas à gestão e às ações administrativas no que diz respeito ao desenvolvimento e à perpetuação da IES confessional, tramitando, é claro, pelos temas sustentabilidade política, econômica, social e acadêmica. Ficou evidente, e provado em práticas, que a afirmação do Papa Francisco deve ser tida como meta: "Só mudaremos o mundo se mudarmos a educação".

Devemos ensinar a pensar e agir corretamente, pois não basta instruir (transmitir conteúdos e competências), mas por sermos uma instituição confessional, temos que educar (transmitir valores, posturas e condutas).

Analisando as propostas acadêmicas da FAE, percebemos que estamos no caminho certo, com uma visão holística, inserindo neste processo evolutivo tanto o aluno como o professor, uma vez que o aluno será a pedra a ser esculpida e o professor, o exemplo a ser seguido.


Foto: Marco Pedroso.

FAE Express: A partir do diálogo com outras lideranças, como você avalia o atual momento das IES confessionais?

Professor Pedroso: As IES confessionais são responsáveis por um número significativo de alunos no Brasil. Sem sombra de dúvida, precisamos crescer e fortalecer a imagem desta missão, tendo como ações estratégicas: o equilíbrio para o desenvolvimento; a valorização das pessoas; o encantamento do aluno; a identidade confessional.

FAE Express: O encontro apontou tendências? Quais?

Professor Pedroso: A tendência está no resgate do passado, de modo a ver a universidade como um local de discussão mais ampla, não restrita a um ou outro curso, mas na promoção da transversalidade entre todas as áreas do saber, apropriando-se das novas e inovadoras tecnologias e metodologias de e para o ensino.

FAE Express: Como equalizar a questão da confessionalidade e a gestão de uma IES?

Professor Pedroso: A confessionalidade deve ser vista como um aporte, um diferencial que entregamos aos nossos alunos. Nosso ensino não está focado apenas em conhecimento e habilidade, mas também em atitude. O que muda uma nação é o comportamento (atitude) suportado pelo conhecimento e pela habilidade, não apenas um diploma por mérito e saber.



Compartilhe: