Projeto de extensão gratuito sobre obras literárias de autoras que contribuíram, e ainda contribuem, para o patrimônio cultural.

Litteraria - Mulheres na literatura

17 de outubro
14h30
On-line


Inscreva-se

Sobre o evento


O curso de Letras - Português e Inglês da FAE convida a todos para participar do projeto de extensão “Litteraria - Mulheres na literatura”. O projeto propõe encontros mensais (aos sábados), com o objetivo de trabalhar as obras literárias de autoras que contribuíram, e ainda contribuem, para o patrimônio cultural.

Todas as obras escolhidas têm o intuito de servir como guia e cooperar para a extensão da criatividade, interpretação de textos e evolução da escrita, além de fomentar ideias sobre questões identitárias relacionadas a gênero e raça para com a comunidade, e por meio da produção literária das autoras que serão apresentadas neste ano.

Também é importante destacar que estamos conectadas com a proposta de Antonio Candido, presente na obra O Direito à Literatura, que estabelece a relação direta entre os direitos humanos, educação e, mais especificamente, literatura. Para Candido “pensar em direitos humanos tem um pressuposto: reconhecer que aquilo que consideramos indispensável para nós é também indispensável para o próximo” (2004, p. 172). Dessa maneira, o processo de humanização sugere pontos para além de questões de saúde, por exemplo.

A ideia central da Literatura é promover o exercício da reflexão, a aquisição do saber, a boa disposição para com o próximo, a capacidade de penetrar nos problemas da vida, e a percepção da complexidade do mundo e dos seres (CANDIDO, 2004, p. 180). Quanto à função da literatura, o autor estabelece uma ligação com os direitos humanos, a partir de dois ângulos diferentes:

“Primeiro, verifiquei que a literatura corresponde a uma necessidade universal que deve ser satisfeita sob pena de mutilar a personalidade, porque pelo fato de dar forma aos sentimentos e à visão do mundo ela nos organiza, nos liberta do caos e portanto nos humaniza. Negar a fruição da literatura é mutilar a nossa humanidade. Em segundo, a literatura pode ser um instrumento consciente de desmascaramento, pelo fato de focalizar as situações de restrição dos direitos, ou de negação deles, como a miséria, a servidão, a mutilação espiritual. Tanto num nível quanto no outro ela tem muito a ver com a luta pelos direitos humanos” (CANDIDO, 2004, p. 186).

Ainda é possível pensar no Litteraria como um bem incompressível, isto é, “São incompressíveis certamente a alimentação, a moradia, o vestuário, a instrução, a saúde, a liberdade individual, o amparo da justiça pública, a resistência à opressão etc.; e também o direito à crença, à opinião, ao lazer e, por que não, à arte e à literatura” (CANDIDO, 2004, p. 174). O que nos leva a refletir sobre os bens que asseguram não só a sobrevivência física, mas a integridade do espírito, da alma, sendo a literatura um destes direitos inalienáveis e que podem gerar potencialidade no contexto social dos participantes das rodas de leitura e oficinas, promovendo abertura intelectual, e assim abrangendo temas e opiniões correspondentes à vivência de cada um.

Dessa maneira, enxergamos na literatura um tema relevante na atual conjuntura mundial, principalmente às questões relacionadas à igualdade de gênero e, portanto, na construção do indivíduo.

  • Confira a programação e increva-se:

20 de junho: professora Verônica Kobs, sobre Clarice Lispector, Correio feminino e sua relação com os dois mais famosos contos da escritora.

15 de agosto: professora Bruna Dancini, sobre Virginia Woolf, vida e obra de uma das mais importantes escritoras modernistas.

12 de setembro: professora Luciana Teixeira, sobre Simone de Beauvoir, O Segundo Sexo, o duplo e decepcionante aspecto da mulher.

17 de outubro: professora Karina Fonsaca, sobre Samantha Schweblin, o realismo mágico na eleita uma das principais escritoras de língua espanhola da atualidade. Faça sua inscrição aqui e participe!

07 de novembro: professora Juliana Bolfe, sobre Chimamanda Ngozi, a importância da escrita feminista e sua influência na literatura mundial.

Programação


Inscrições