Notícias

05.06.2017

Professora de Direito da FAE integra Justiça no Bairro


Tânia Francisca dos Santos participou da ação do TJ-PR que beneficiou 500 famílias no Vale do Ribeira
Tânia Francisca dos Santos participou da ação do TJ-PR que beneficiou 500 famílias no Vale do Ribeira
Professores e alunos do curso de Direito da FAE são voluntários atuantes em eventos gratuitos de assistência jurídica para famílias carentes. No mês de maio, por exemplo, a professora e advogada Tania Francisca dos Santos, do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da FAE, representou a Instituição no Justiça no Bairro, do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, que regularizou a situação fundiária de 500 famílias dos municípios de Cerro Azul e Doutor Ulysses.

Para o coordenador do curso de Direito da FAE, Karlo Messa Vettorazzi, a presença da equipe acadêmica em iniciativas como essa vai ao encontro da missão franciscana da FAE na educação. “Quando falamos que o grande diferencial da FAE é a formação humana, queremos dizer que os nossos cursos pensam no desenvolvimento integral do aluno, unindo a excelência da prática acadêmica aos mais altos valores humanos, como a fraternidade e o amor”, diz.

O Justiça no Bairro que ocorreu no Vale do Ribeira contou com a participação do Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG); da advogada Elaine Oshima, da Fesp; do advogado José Carlos Dizidel Machado, da Uniandrade; do DNALAB; do Instituto de Identificação do Paraná; da serventuária Krystyane Jondral de Macedo, do Cartório de Registro Civil de Doutor Ulysses; do Instituto Cidades Inteligentes (ICI); da Copel; dos magistrados Marcel Guimarães Rotoli de Macedo, juiz de Direito substituto em 2.º grau, e Carlos Eduardo Faísca Nahas, de Cerro Azul; e do promotor Vinícius Fernando Zonatto.

De acordo com o site do TJ-PR, as famílias obtiveram a regularização de suas terras por meio de usucapião, carteira de identidade, biometria pelo TRE, entrega da prestação jurisdicional em horas (divórcio, retificação de nome, entre outros), a inscrição para o casamento coletivo, dentre outros serviços.

Trabalho contínuo


Durante o primeiro semestre, alunos da FAE também participaram de uma ação semelhante de regularização fundiária na Comarca de Marquinho (PR). Por meio de convênio entre o NPJ e o Tribunal de Justiça, foram elaboradas petições iniciais de usucapião para 160 propriedades de agricultores familiares.

Foto: Tribunal de Justiça do Estado do Paraná.


Compartilhe: