Notícias

13.03.2017

O atual cenário econômico do Brasil


Palestra debateu as perspectivas para a economia e a política do país e lotou anfiteatro da FAE Business School
Palestra debateu as perspectivas para a economia e a política do país e lotou anfiteatro da FAE Business School
Discutir questões atuais do cenário econômico e político brasileiro foi a proposta da palestra que ocorreu na última quinta-feira (09), na FAE Business School.

Com o anfiteatro lotado, o economista e professor da FAE Gilmar Mendes Lourenço debateu as antigas e recentes medidas que desencadearam o atual cenário, além das perspectivas para o futuro.

O evento contou com a presença de alunos da graduação, pós, egressos e o apoio do Programa de Relacionamento com Ex-alunos FAE - FAEx.

Confira, nas palavras do professor Gilmar, um resumo sobre a palestra:

"A inflação brasileira, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor amplo (IPCA), do IBGE, foi de 4,7% em doze meses encerrados em fevereiro de 2017. Trata-se do menor patamar desde 2009, por ocasião dos efeitos domésticos recessivos da crise financeira internacional, e próximo do centro da meta de 4,5% ao ano, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Essa boa notícia representa mais um motivo para o Banco Central intensificar a colaboração para o abrandamento da recessão, através da deflagração de rodadas de redução de um ponto percentual na taxa Selic, nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom).

O governo também poderia ajudar por meio da formulação de uma reforma financeira, capaz de desmanchar o oligopólio (poder de mercado) exercido por quatro instituições (duas públicas e duas privadas), para que os cortes dos juros básicos possam se irradiar para as taxas das diversas modalidades de empréstimos e financiamentos, e induzir a diminuição do endividamento privado e a recuperação do consumo e do investimento.

Em sendo isso feito, a economia pode ingressar em uma marcha ascendente propiciando inclusive a elevação da arrecadação, passando até a (falsa) impressão de que as demais reformas não seriam tão relevantes."



Galeria de fotos






Compartilhe: